Viva: A vida é uma festa | Um filme para lembrar da sua família

Imagem do personagem Miguel do filme Viva, sentado ao lado de seu cachorro.

Depois de muito tempo sem postar no Console Cor-de-Rosa, resolvi voltar a escrever trazendo minha critica de um filme que esperava por muito tempo.

O novo longa da Pixar é tão emocionante que me fez chorar inúmeras vezes (Anna Larissa que não costuma chorar em filmes, não resistiu às lagrimas em algumas cenas).

A história

Viva: A vida é uma festa é uma linda homenagem aos costumes da família e a importância de sempre lembrarmos das pessoas que fizeram parte dos nossos antepassados.

A história se passa durante o dia de los muertos, uma festa tradicional no México celebrada para relembrar os familiares que já se foram. É justamente nesse dia que Miguel abandona as tradições de sua família de sapateiros que querem distância de música para ir a um show de talentos tocar seu violão.

Mas seus planos frustrados acabam o levando para o mundo dos mortos onde ele tem que recuperar sua vida até o fim do dia de los muertos, mas para isso ele precisa da ajuda de seus antepassados que odeiam música. Mas como Miguel vai voltar para o mundo dos vivos e ainda seguir com o seu sonho de ser músico?

Imagem do personagem Miguel, abraçando a sua bisavó que está sentada numa cadeira de rodas.

A Pixar respeitou as tradições criando um universo que reverencia várias personalidades do México como Frida Khalo e vários outros atores e atrizes que são bem populares por lá.

Vale a pena?

O filme já ganhou o Globo de Ouro por melhor animação e é um forte candidato a levar o Oscar. Além de ser um longa cheio de aventura e muita, muita meeesmo emoção!